sexta-feira, 29 de julho de 2011

É de cortar os pulsos com uma lâmina pequenina e romba.

Detesto, abomino mas acima de tudo não entendo o conceito do cartão "Viva Viagem" para os transportes na Grande Lisboa. Sinceramente, dá vontade de..... AHHHHHH.
Vejamos: trata-se de um cartão, um bilhete, uma merdinha de um rectângulo de papel magnetizado que supostamente (e aqui o "suponhamos" é muito importante) e segundo que é publicitado, facilita o usufruto dos transportes colectivos em Lisboa. Em teoria compra-se o tal papelinho (50 cents só o rectângulo!) e depois carrega-se com viagens e siga! Nada mais errado. Então, eu que raramente ando de transportes, chego ao "cacilheiro" e compro 2 viagens. Primeiro, entro na barcaça e saio no Cais do Sodré e dirijo-me à bilheteira do Metro e solicito o carregamento com mais duas viagens, desta vez para o dito metro. "Ah e tal não porque este bilhete já tem viagens do cacilheiro e assim é impossível e tem de comprar outro cartão e carregar com viagens do metro." Hmm? Diga? Então e não há alternativa? Sei lá, um bilhete que dê para todos os transportes? "Ehhhh, há um bilhete diário para turistas mas custa para lá de uma pequena fortuna." Ah pois é... Mais dois bilhetes (mais um euro em papel!) e já vão quatro rectângulos verdes (2 cacilheiro + 2 metro). E siga.
Entretanto ponho-me a pensar: "Peraí! Então se um gajo quiser ir na CP até Cascais ou ir no eléctrico até ao Castelo de S. Jorge... são mais 2€ em mais dois bilhetes num total de 6 (!) bilhetinhos verdes, todos igualinhos que ás tantas um indivíduo já não sabe qual é o do metro e qual o do barco e tem que passar todos na merda da máquina que lê os malditos?! Nãããã..." E procuro melhor e encontro o "Cartão Zapping". O que, dito assim, parece que é um cartão diferente. Não é. É a mesmíssima coisa, um rectângulo verde igual aos outros todos que se carrega com DINHEIRO e não com viagens! Genial. Portanto, os génios que imaginaram este esquema decidiram que existe diferença significativa e inconciliável entre VIAGENS e DINHEIRO!!! Génios é o que vos digo!
Mas como já estava farto de tantos bilhetes verdes (e feios ainda por cima) distribuídos por todos os bolsos (metro no bolso direito, barco no bolso esquerdo, carris no bolso de trás que aquilo são todos iguais e um homem tem que se orientar de alguma maneira!) vai de comprar mais dois papelinhos (1€ portanto e carregar com dinheiro, não com viagens, dinheiro. E siga. Na volta para a margem sul já que estávamos perto de um comboio fertagus e tínhamos o bendito cartão zapping, decidimos regressar de comboio. E a porcaria do cartão nada de ser aceite pela maquineta de validação. "Olhe, ófaxavor, senhor da bilheteira. Isto parece que há aqui sarilho porque a máquina não lê isto e eu ainda agora meti dinheiro no zapping." E ele responde: "Ah isso é zapping? Pois, dá em todos os transportes menos no comboio da ponte..."

P****** que pariu pá!

7 comentários:

Mariana B disse...

É tão verdade a complicação aqui descrita!Até tenho suores frios quando tenho que usar estes papelinhos, se puder vou logo a uma bilheteira. Já me dirigi a um funcionário vigilante (?) no Metro a perguntar se era preciso mais do que uma licenciatura para usar este maravilhoso cartão!É que eu, só com uma, não conseguia entender todo o mecanismo que gira à volta de um cartão que devia facilitar a vida do pobre utente!

joao disse...

lol mais uma pequena mas grande diferença entre o nosso país e neste caso, suiça..

A.Luisa disse...

E Viva...ao Andante aqui do Porto :))

MA-S disse...

Muahahahahahah...ah pois é!
Tiveste que comprar o verdoca a dizer fertagus por trás que te lixaste!

:P

Carla Isabel disse...

LOL...muito bom!

Ricardo disse...

Pois... Ainda hoje me aconteceu uma na linha de Sintra. Tenho 2 bilhetes verdes, um de comboio e outro de metro. Quis comprar uma viagem de Sintra para o Cacém, mas como tinha viagens do Cacém para Lisboa no bilhete, a máquina não me deixou fazer a compra.
Por sorte o bilhete do metro estava vazio e então lá consegui comprar a viagem que queria, pq se não mais 0.50€.

Sara disse...

Quando é assim guardem o talao que tem o preço do bilhete (50 centimos) dirijam se a uma bilheteira no fim do da viagem e digam é para devolver. Pronto e eles devolvem o dinheiro do lindo cartão verde.