sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Closure.

"Resolveste a questão do cão? Com quem fica ele?"

Esta questão, colocada pela Marta num comentário ao post anterior, deu-me o pretexto perfeito para abordar uma questão muito sensível para mim: o "dossier" Gastão. Depois de muito hate mail e das mais variadas acusações de insensibilidade e canalhice porque estava a abandonar o meu cão e que não estava a fazer tudo ao meu alcance para o tentar levar comigo, não houve uma única pessoa por entre esses críticos que tenha fornecido uma solução, que se tenha voluntariado para resgatar o coitado do cão das garras de um dono insensível e cruel. Entretanto houve uma pessoa que me contactou e se comprometeu a adoptar o Gastão mas, na hora da verdade, desapareceu. Deixou de atender telefones, não respondeu a mensagens. Inicialmente pensei que talvez tivesse acontecido almas mas acabei por descobrir que essa pessoa está bem através do seu mural do Facebook que não está bloqueado (lição: cuidado com as redes sociais!). Obviamente que essa pessoa não estava obrigada a coisa nenhuma mas um aviso "afinal pensei melhor..." teria sido agradável.
Os meses foram passando e a situação arrastou-se até ao ponto em que começámos a pensar num plano B. E, neste caso, o plano B seria um Hotel para cães. O Gastão ficaria hospedado num hotel até que se encontrasse uma solução mais definitiva. E até já tínhamos tudo acordado com um desses hotéis. Contudo, Gastão é nome de sortudo (foi baptizado com o nome do pato da Disney que tem toda a sorte, o primo do Donald) e a situação acabou por se resolver da forma mais inesperada: a pessoa que me alugou a casa e que vem para cá viver já em Outubro perguntou, no dia em que veio visitar a casa, se o cão também estava incluído! Conversámos seriamente e ficou decidido: o Gastão fica com ela continuando assim na sua própria casa!
Apesar disso, não julguem que vamos deixar de nos preocupar com ele. Continuarei a sentir-me sempre responsável por ele até porque nunca se sabe o rumo que a nossa vida vai levar. Eu sou a prova viva disso mesmo.
Por isso, obrigado à Marta por ter perguntado e obrigado a todos aqueles que se preocuparam genuinamente com o Gastão (e eu sei que foram muitos os que nos tentaram ajudar). Aos outros, aos "defensores dos animais", fanáticos, fundamentalistas, adeptos do "gosto mais dos animais que das pessoas" __________________________ (a completar ao gosto de cada um).

6 comentários:

Sílvia disse...

Fico contente que tudo se tenha resolvido e que ele fique em boas mãos. Até eu poderia ficar com ele de bom grado se cá em casa não fossem já quatro :)

gralha disse...

Ainda bem que o assunto ficou bem resolvido :) Eu estou prestes a recuperar o meu cão, depois de dois anos entregue aos meus pais. Espero que o Gastão fique feliz com a sua nova família.

Anónimo disse...

Que bom Miguel, foi uma boa solução e ele, apesar de ir sentir saudades vossas, pelo menos estará no ambiente dele. Isso vai ajudar.

Obrigada por teres respondido, desde que falaste aqui disso a primeira vez, fui-me sempre lembrando ao longo do tempo. Eu vou mudar de país também, em Novembro (no meu caso irei para Inglaterra) e tenho uma gatinha, mas ela vai comigo :)


Marta

Melissinha disse...

Que solução bestial, pá! Mandada pelos deuses, não? Imagino a tua cara... Fico contente por todos :)

ODEIO fundamentalistas dos animais, mais ainda do que os religiosos.

Anónimo disse...

Miguel, desculpa o abuso deste comentário, mas como também me preparo para ir para Inglaterra e quero levar o meu "peludo", dirijo-o à Marta: com tantas exigências para a entrada de animais no UK, por onde começar?
Miguel, que esta nova oportunidade de vida se revele fantástica. Super-hiper-mega boa sorte!
Um abraço de outra "bata branca" solidária :)
Ana

Anónimo disse...

Olá Ana,

É uma carga de trabalhos :) a primeira coisa a fazer e quanto antes é ir a um veterinário pedir o exame da raiva. Isto porque a partir da data de colheita do sangue para o exame, tem que esperar seis meses até poder entrar no Reino Unido com o animal. A minha gata está em quarentena desde Março. Quarentena não implica estar fechada em lado nenhum, é só mesmo este periodo de espera. Depois é necessário também o passaporte e o chip (ambos tratados pelo veterinario, o chip é colocado no dia do exame da raiva)

No entanto estas regras mudam em janeiro, vai ser mais fácil pois deixam de exisgir os 6 meses de quarentena e bastam 21 dias.

Existe um site muito util, que explica bem tudo isto: http://www.defra.gov.uk/wildlife-pets/pets/travel/pets/pet-owners/

Outra coisa é o transporte. Não sei se tem cão ou gato, no meu caso tenho uma gata com 3 kg e pediram-me 560 euros para a levar de avião (apenas a British Airwyas tem autorização para levar animais para o Reino Unido). A alternativa, muito mais barata, é ir de barco ehehehe. Nesse caso consulte o site da Britany Ferries.

Dá trabalho, sem duvida, mas depois compensa :)

Beijinhos e Miguel, desculpa o uso do espaço!

Marta