quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Não foi pêra doce não!

Ora bem, vamos a contas.

Então, no dia 25 de Setembro saí da minha casa na Quinta do Conde com a carrinha atulhada de tralha e fui para casa dos meus pais durante quatro dias para depois voltar para Lisboa apenas com duas malas com 78 kg de roupa e muita esperança no coração. Dois dias acampados em casa de um casal amigo (obrigado Vânia e Luís!) e no dia 1 de Outubro aterramos todos em Genebra às 19 e qualquer coisa (hora local) depois de termos ficado em terra em Lisboa após termos perdido o voo inicialmente marcado. No dia 2 entro no pequeno estúdio que já tinha reservado para mim e fico (com a minha parte das malas) em Lausanne enquanto a Mariana e os putos seguem para o norte da Suíça (380 km e 3 horas de caminho depois), onde se instalam aguardando (im)pacientemente que eu encontre casa para a família. Dia 3 de Outubro começo a trabalhar.
Entretanto, na segunda semana de Outubro acontece um milagre: encontro casa para a família, entrada dia 1 de Novembro (milagre porque é extremamente difícil encontrar casa. São tão poucas que os proprietários dão-se ao luxo de abrir candidaturas às casas: visitamos, entregamos um dossier de candidatura com 50 documentos e esperamos ser seleccionados). Dia 15 de Outubro uma amiga que vive em Lausanne vai de férias para Portugal e empresta-nos a casa até ao final do mês. Lá vem a Mariana com as tralhas e os putos de atrelado Suíça abaixo e lá vou eu com os meus dois pares de calças, as meias e os boxers ainda limpos para o apartamento da nossa amiga.   
Dia 1 de Novembro mudamos finalmente para a nossa casa com as nossas duas malas e os putos de atrelado mas a casa está vazia e então lá vamos á Conforama comprar um sofá e um colchão para nós, um primo da Mariana que mora perto arranjou-nos uma mesa e uns bancos, o meu pai enviou-me uma velha TV Sony e um colchão para o Gabi e o David dorme na cama de viagem (e que bem que dorme!). E lá ficamos nós, os dois e os putos, numa casa  com um sofá e um colchão no chão, uma mesa e cadeiras que não combinam e uma velha TV Sony numa casa que entoa de tanto vazia que está. Duas semanas depois chegam 27 caixas de cartão de Portugal com o resto das nossas coisas! E agora a casa já não entoa tanto porque há caixas de cartão espalhadas por todo o lado. Mas não podemos livrar-nos das caixas por duas razões: primeiro não temos roupeiros nem armários para arrumar as coisas e em segundo porque já estamos a procurar outra casa, já que esta é assim pró carota e está um bocadinho mal situada. E lá ficamos todos com o sofá, o colchão e a velha TV Sony e a casa cheia de caixas de cartão que o Gabriel se entretém a furar com uma caneta.
E assim andamos nós, vendo casas e sendo recusados até que finalmente nos ligam (ontem!) dizendo que ficámos com um apartamento situado a 5 minutos a pé da escola do Gabi, do banco, dos correios e dos 3 supermercados mais significativos do país (tipo Continente, Jumbo e Pingo Doce mas em versão pequena)! Fantástico! Sorte do caraças! O único ponto negativo é que, no espaço de 3 meses vai ser a nossa 6ª mudança de residência: nós e os putos, o sofá, o colchão, a velha TV Sony, as 27 caixas de cartão e mais um móvel de quarto que estava na rua mas em tão bom estado que agora está no meu quarto!
Mas creio que será a última nos espaço de alguns anos...

7 comentários:

Ana Ferreira disse...

que aventura =) mas será para tudo se compor! Continua a dar notícias quando puderes para inspirares os emigrantes futuros como eu e muito boa sorte para ti e para a tua família!

*

joao disse...

quando quiseres recomçar as corridas avisa q eu vou contigo. desde q cá tou nunca mais corri e ha tao boas condiçoes pra isso...

Sandra disse...

Bem, só de ler é uma canseira!
Com duas crianças, uma mudança desta envergadura, só pode correr tudo bem!
Muita sorte!

Anónimo disse...

E assim se começa uma nova etapa para uma vida que se quer melhor.
E vai ser melhor com toda a certeza. Não é comparável a qualidade de vida na Suíça e em Portugal.
Tudo de bom para a família de aventureiros e continue sempre a dar notícias.
Beijinhos para todos
Inês

Perfectly Crazy disse...

Bem Miguel já fiquei com mais umas coisas para por na lista de contras em ir para fora ser Enfermeira.

Carla Isabel disse...

E isso é tudo tão bom, porque é feito com amor!

Anónimo disse...

Ai... os primeiros tempos são sempre assim! Eu também passei pelo mesmo, contudo, vim sozinha e só com 2 malas.
Apenas me revi na história do eco
no inicio a arrumar loiça os 2 copos bateram e fizeram eco pela casa toda... dei comigo a olhar todas as divisórias certificando que nao havia ninguem e a fechar todas as portas! Na ida seguinte ao IKEA, tapetes para todas as divisoes, e sim, diminuiu ecos e ficou mas acolhedora :)
continuação boa sorte pois ainda há mais aventuras para vir!!! Eu já levo 3 anos delas!
Carmen