sábado, 25 de fevereiro de 2012

SU vs UCI

(AVISO: texto altamente tendencioso e parcial)

Desde os primórdios dos tempos hospitalares que existe uma rivalidade, uma certa animosidade subreptícia, um ascozinho mal escondido entre dois grupos: os das Urgências e os dos Cuidados Intensivos. Digo já que a culpa não é nossa, é antes dos emproadinhos dos Intensivos.
Vejamos, essa malta tem a mania que "Oh, nós é que somos bons com os nossos monitores topo de gama e os nossos ventiladores digitais." Ai e tal que eles trabalham com material com tecnologia de ponta e com fármacos super-potentes e o camandro. E então? Ora, com os doentes monitorizados até aos tomates, ventilados, sedados, ali controladinhos e sempre com os srs. doutores sentadinhos á cabeceira, ora assim também eu era enfermeiro! Eu queria era vè-los ali, no campo de batalha onde os doentes chegam vindos sei lá de onde, sabe-se lá com que doenças atrás deles e com queixas que não lembram ao Diabo!
Os meninos, quando vêm buscar um doente lá vèm eles com os seus monitores e as suas bombas e tal e coisa e depois olham de lado para nós e dizem logo "Ahhh, esta diluição não é a que utilizamos no nosso serviço..." E eu só tenho vontade de dizer " Oh senhor ministro dos doentinhos, então ensine-me lá qual é a diluição perfeita que eu, entre salvar a vida do doente e responder às 32489 solicitações dos médicos não tive tempo de reflectir qual a diluição que melhor vos serviria ó sapientíssimo." "Então estes acessos venosos estão funcionais?", "Funcionais? Qué lá isso? Eu quando pico um doente faço-o por forma a falhar a veia e depois, não contente com a minha incompetência espeto-lhe um soro a correr fora da veia qué para doer o máximo possível. Funcionais... pfff, que ofensa!" 
Pelo contrário, quando somos nós a ir ao serviço deles lá estão á nossa espera, batas descartáveis, máscara e luvas enfiadas. Só falta o cartaz a dizer "Aviso: pulguentos a caminho", os sacanas. Ai porque nós lidamos com acessos arteriais. Coitadinhos... um acesso arterial é só um cateter normal mas enfiado numa artéria pá!
Ninguém os atura...


Obviamente que estou no gozo mas existe mesmo uma certa animosidade entre quem trabalha na Urgência e quem trabalha nos Cuidados Intensivos. Por outro lado, não é menos verdade que existem certas características que definem ambas as equipas: os Intensivos mais fechados, muito ligados à técnica e menos ao doente e os das Urgências mais abertos, mais receptivos à mudança e ao desconhecido. Mas, se virem bem, isso só reflecte o ambiente em que cada equipa trabalha...

3 comentários:

D disse...

Sigo este blog há já algum tempo, que me foi dado a conhecer por um amigo enfermeiro.
Sou enfermeira de Cuidados Intensivos e concordo plenamente com este post.
Admiro muito os colegas da Urgência que com pouco, em pouco tempo e com as condições não tão desejáveis, fazem um brilhante trabalho.
Quando recebo doentes da Urgência não me ponho com essas mariquices de questionar diluições, acessos, datas de cateteres e etc. Porque sei que aquele doente era um entre tantos mais. E eu irei ter aquele e mais outro e dedicar-lhe toda a atenção, com o balizamento da monitorização.
Gosto de trabalhar em Cuidados Intensivos, sim.
Mas também sei que o mérito está nos colegas da Urgência e da Sala de Reanimação.

P.S. Gosto muito deste blog.

Carla Isabel disse...

eu gosto mesmo deste blog.

Anónimo disse...

Sem dúvida que essa rivalidade existe!
Mas ela só existe, porque alguém tem de olhar como deve ser para tratar verdadeiramente os doentes, e se não formos NÓS dos cuidados intensivos a fazê-lo e ficarmos à espera do "desenrasca" normal que é tudo o que se faz na urgência, oh meus amigos!...
Depois existe sempre aquela cena de o doente nos chegar à UCI tipo um "maltrapilho", ah pois é!...
Esteja a urgência atascada de doentes ou não, já se sabe que o doente chega sempre no mesmo estado, e se não tivermos que ir passado 5 minutos novamente lá abaixo fazer um exame qualquer que esqueceu, já é uma sorte!
Mas pessoal, a verdade é que eu não queria ir para a urgência trabalhar, acho que não tinha estofo para isso, muitos parabéns a quem tem coragem e gosto para fazer esse trabalho.
Abraço, Nelo (enfº de UCI)