quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Por vezes sinto que trabalho numa Estação de Serviço.

E ontem foi um desses dias! Sinceramente, já não me lembrava de passar tanto tempo (praticamente toda a manhã, até à hora do almoço!) a dar banhos aos doentes. A hora dos banhos, ou "higienes" como os enfermeiros gostam de lhes chamar, é sempre um momento muito agitado na vida de qualquer enfermaria. Na enfermaria onde eu trabalho, sendo que a maioria dos doentes são velhinhos acamados ou com muitas dificuldades de mobilização. E surdos que nem portas, a maioria deles. Em primeiro lugar, os banhos na cama ou "higienes no leito"...
-Dª FRANCISCA VAMOS COMEÇAR. FECHE OS OLHOS!
-HÃÃÃÃ?
-FECHE OS OLHINHOS!
(agarro numa esponja cheia de água e esfrego a face, braços e peito do doentes. A minha auxiliar seca tudo, do outro lado da cama. Passamos para as pernas e pés.)
-Dª FRANCISCA, AGORA VAMOS LAVAR A PATARECA*. TEM A FRALDA SUJA?
-HÃÃÃÃ?
-FEZ CHICHI E COCÓ?
(a velhota encolhe os ombros. abrimos a fralda e espremo a esponja em cima do pitó* da senhora. esfrego. A auxiliar limpa.)
-AGORA VAI VIRAR-SE DE LADO ALI PARA A CARLINHA (a auxiliar). NÃO TENHA MEDO.
(digo sempre isto porque o doente fica de lado, bem à beirinha da cama e, invariavelmente, têm uma medo terrível de cair. Esfrego as costas, limpo-as e aplico o creme hidratante. No final afasto os lençóis molhados e empurro-os para baixo do doente. Coloco um lençol seco na metade da cama que está livre)
-PRONTO. VIRE-SE PARA MIM...
-AII, QUE EU CAIO!
-NÃO CAI NADA MULHER, QUE EU NÃO DEIXO!
(a auxiliar retira os lençóis molhados, limpa a outra metade da cama e puxa o novo lençol seco. Está pronto!) Agora multipliquem estes discursos berrados por mais dois ou três enfermeiro e juntem-lhes os gritos de medo ou de dor de muitos doentes e talvez percebam a animação que é este momento!
Quando os doentes conseguem ir à casa-de-banho prefiro dar-lhes uma boa chuveirada...
-SR. MANEL! A ÁGUA ESTÁ BOA ASSIM?
-TÁ QUENTE!
-E AGORA?
-TÁ FRIA! NÃO... ASSIM TÁ BOA!
(afastado do doente, aponto-lhe o chuveiro assim tipo mangueirada! Se lhe der o chuveiro para a mão é certinho que vou tomar banho também.)
-VÁ! ESFREGUE BEM A CARA. E O PEITO. LAVE-SE BEM "POR BAIXO". TOCA A LAVAR OS TINTINS*...
-HÃÃÃÃ?
-OS TINTINS HOMEM!
-HÃÃÃ?
-OS TOMATES!!!!
-AHHHH.
-AGORA SEGURE AQUI NO CHUVEIRO ENQUANTO EU ESFREGO AS COSTAS E OS PÉS.
(erro crasso, de principiante. A água salta para as paredes e tectos e espelhos. já estou todo encharcado quando emendo a minha falha!!)
-PRONTO, PRONTO, JÁ ACABÁMOS....
Uma animação a hora dos banhos.
Uffffff.
*termos largamente utilizados para definir "vagina" e "testículos" (consoante o caso) que, admitamos, são uns termos muito sérios. Já "tomates", enfim quando se está já com os pés todos molhados dizemos qualquer coisa para despachar o serviço!

14 comentários:

Aline disse...

Adorei a tua descrição. Sei que no dia a dia, não deve ser nada fácil.

SM disse...

O que eu compreendo esse sentimento

AA disse...

É o terror...Quando estagiava terminava essa tarefa e parecia que já tinha passado um grande dia de trabalho por mim lol...

No entanto, é um momento ao qual grande parte dos enfermeiros não dá o merecido valor... até gosto de realizar os cuidados de higiene aos utentes...

gostei do post :)
**

Naná disse...

Eu admiro as pessoas que conseguem fazer este trabalho e ainda ter algum desprendimento em relação à coisa...
Sinceramente, nunca tive vocação para tal coisa... e foi isso que me foi dito nos resultados dos psicotécnicos: não vá para enfermagem porque não tem a mínima vocação!
Mas o facto é que quando chegarmos a velhinhos e enfermos precisamos de alguém que faça algo que sempre fomos capazes de fazer!...

ines mascarenhas disse...

parabens! so mesmo quem passa pela situaçao consegue perceber... todas as historias que tenho lido neste blog so quem passa pelo menos é que sente o cheiro do serviço, ouve os ruidos de que fala, ouve as vozinahs dos doentes, ri-se ao imaginar certas situaçoes... é um mundo... em que eu adoro viver!

Melissinha disse...

ó pá ADOREI este post. Adoro quando falas do teu trabalho. :)

Guilherme de Carmo disse...

Muito bom post! è mesmo tal e qual como descreves... os anuncios, avisos, até aquela sensaçao de queda. fizeste-me rir... descrevendo um momento que não é propriamente para rir, um momento complexo tanto para doentes como para profissionais

Doce disse...

Essas tarefas não são nada fáceis e exigem muita pratica.

DeepGirl disse...

Ahahahah.
Muito bem descrito.
Falta só o facto que alguns espertinhos gostam de agarrar o cu* da enfermeira quando se viram :p.

*: Denominadamente, glúteos :)

Elisabete Martins disse...

Fiquei comovida! És um grande ser humano. Parabéns!
Beta & Co.

joao disse...

ahahahah xD

tal e qual! revi-me em todas as situaçoes.. agora tem piada, mas no momento e' uma maratona do crl..e nem se fala quando 2 ou 3 dos doentes acamados tem múltiplas escaras..

Tia Complicações disse...

Mais uma vez chego à triste conclusão que havia chegado antes ....não quero chegar a velha .....

Magistral Estratega disse...

Já alguém aqui necessitou de cuidados de higiene no leito?

Deveriam ter mais respeito por essa actividade e a ligeireza com que se leva a coisa é também uma das razões pelos quais os utentes podem não estar à vontade nesse momento...

É que quando se está do lado de lado gosta-se de pensar que quem o está a fazer o faz porque é profissional e não como um frete... que não vai menorizar-nos e tratar-nos como se fossemos o nº4 do dia.

Não querem ser apelidados de profissionais pouco qualificados? Então comportem-se mais profissionalmente.

http://saudeeportugal.blogspot.com

joao disse...

epa eu tinha um nome para classificar este tipo de "pessoas" sem sentido de humor e que se sente ofendida por pouco..humm nao e' beatismo falso, e' outra coisa..mas de facto agora nao me consigo lembrar. alguem me de´ uma ajuda sff, precisava mesmo desta palavra:S