quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Em português é que a gente se entende.

Dia de caca hoje.
8h: fulano podre de bêbedo decida saltar da sua varanda do 2° andar "porque sim" (resposta do tipo ipsis verbis). Imobilização práqui, colar cervical práli, o gajo c'os copos não fica quieto para as radiografias e a TAC e o catano. 4h, uma tibia e um perónio bué partidos e uma vértebra lombar estilhaçada depois lá vamos nós por uma tracção naquela fractura de perna. Tracção? perguntam os que não têm a extrema sorte e o extasiaste prazer (ironia ok?) de trabalhar na saúde. Eu explico: é enfiar um ferro a atravessar o calcanhar e atar a isso uns nagalhos com uns pesos lá atados para manter a perna (e a fractura) bem direitinha. Como devem calcular, atravessar o calcanhar d'um gajo com um ferro é experiência desagradável e, normalmente, enfiava-mos umas drogas ao gajo para o por a dormir mas, adivinhem... o gajo tá bêbedo pelo que já pode receber mais droga no corpinho sob risco que ir desta pra melhor. Portanto, o processo de enfiar o tal ferro e as consequências deixo à vossa imaginação.
15h: Madame tem um coração a bater a 160 mas na boa, sem sintomas, fresquinha que nem uma alface. Não fosse o pormenor de ter a doença daquele senhor alemão, o Alzheimer ou lá como é e estar sempre a arrancar os fios do monitor pelo que aquela merda apita todos os 5 minutos. Chega os doutores, aperta daqui, ausculta dali, vamos a enfiar drogas na senhora pra ver se o músculo cardíaco não rebenta com tanta contracção por minuto mas nada. Durante quase 3h, droga, ECG, droga, EGC, droga, ECG, droga, ECG. Foda-se! E o bêbado com a perna toda quinada e o ferro na pata e a vértebra toda fodida aos berros porque quer ir fumar e dar uma mija. 
18h30: o bêbado lá foi para a ortopedia e eu vou levar a velha à  cardiologia.

(Os seguintes diálogos deram-se em francês mas eu escrevo em tuga porque é mais gráfico além de que eram as respostas que eu gostaria de ter dado, assim mesmo, vernáculo e tudo)

Chego lá cima: 
- Venho com a doente das urgências.
- Ah e tal, quem é que autorizou
- Ai o meu caralho! Então eu acabei de falar com o vosso responsável!
- Ai e tal não sabemos, se calhar a doente tem de voltar para vós...
-Volta é prá coninha da mãe! Telefonem para onde quiserem mas daqui não saio enquanto a velha não estiver instalada! Mas andam a mangar c'a tropa ou quê pá?
- Ah e tal pronto diz lá o que se passa...

....

- Pronto colegas, bom trabalho e boa noite.
- Ah e tal com a doente toda confusa e a querer levantar-se da cama deve ser deve!
- Oh filha, temos pena.

Obrigado e boa noite.

4 comentários:

Ana. disse...

Ahahahah! Que animação!!

gralha disse...

Já tinha tantas saudades de um post destes! Bem hajas :D

Carla Isabel disse...

Eu que sou hipocondriaca, a ler que o coração da mulher estava a 160, e a rir! Só tu!

Adorei, so mesmo com este estado de espritito se consegue, né?

Bem haja!

Anónimo disse...

Mandaste o Calvin e o Hobbes para as urgências?
:)