sábado, 22 de novembro de 2008

Fobias e outras merdices

Não há nada pior que um doente com "fobia" a agulhas.
"Ai que eu tenho muito medo de agulhas. Foi de uma injecção mal dada quando era pequeno". Eh pá!! Será que houve algum "Enfermeiro-Psicopata" a espalhar o terror nas criancinhas das décadas de 50, 60 e 70??? É que são tantos os doentes com esta conversa!!! Claro que não me refiro às pessoas que verbalizam o seu receio. Obviamente que eu também não gosto de estar "do outro lado da agulha", e isso é normal. Refiro-me pois aos anormais que fogem com o braço, berram e insultam ou recusam terminantemente a administração de terapeutica injectável mesmo depois de lhes ser explicado o prejuízo que daí pode advir.
Porque, se vem ao médico e depois recusa terapêutica é porque não pode estar verdadeiramente doente. E, além disso, é uma tremanda falta de respeito pelo médico que observou, pelo enfermeiro que perdeu tempo a preparar medicação que depois não é aceite e pelos outros doentes, pois está a encher o serviço e a ocupar o nosso precioso tempo.

Não sejam uns merdas porque, no final, nem se sente a picadinha!!!

FOBIA: em linguagem comum, é o temor ou aversão exagerada ante situações, objetos, animais ou lugares.
Sob o ponto de vista clínico, no âmbito da psicopatologia, as fobias fazem parte do espectro das doenças de ansiedade com a característica especial de só se manifestarem em situações particulares.

Dizer "Tenho fobia a agulhas" é deprimente, além de estúpido!

2 comentários:

banita disse...

LOL! Adorei e vou voltar;) Posso?
Eu sou mais ao contrário: adoro ver o sangue a subir na seringa!
beijos

Anónimo disse...

:) confesso o meu panico total a agulhas... no entanto qd estou doente nem me lembro disso :)