quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Sorte do Caraças, é o que é!

Desde que lhe disse que vinha para a Suíça, a minha cara compincha de escrita Ana C. me disse que achava os Suíços um bocado nazis. É capaz de ter razão.
Por estes lados é muito difícil encontrar casa para morar porque enfim, as casas disponíveis são poucas! E eles recusam absolutamente aumentar a periferia das cidades e ocupar os espaços "verdes", não há cá construção indiscriminada de mamarrachos no meio das montanhas! O que quer dizer que, ao contrário do que se passa em Lisboa, que o centro da cidade de Lausanne (e calculo que das outras cidades também) está cheio. Cheio e vivo! Porque, ao contrário do que se passa em Lisboa, as pessoas vivem no centro da cidade, há mercados e supermercados dentro das cidades, há pequenas lojas familiares, cabeleireiros, os correios, relojoarias, pastelarias, escolas e lojas de skis e a cidade não morre à noite e ao fim-de-semana porque, enfim, a malta mora a 30 km nas Amadoras, Alcochetes e Quintas do Conde periféricas.
O problema é... encontrar uma casa! Quer dizer, todos os dias surgem anúncios de casas para alugar mas aqui o processo de encontrar casa é um pouco diferente de em Portugal. Aqui nós candidatamo-nos à casa! Estranho? Pois. Consultamos os anúncios, visitamos a casa e se interessados, entregamos um dossier de candidatura na agência imobiliária responsável. E esse dossier contém: documentos de identificação, documentos da entidade patronal como contrato de trabalho e os 3 últimos recibos de vencimento, o visto de residência (para os estrangeiros), declaração do "tribunal de dívidas" do cantão onde consta que não devemos nada a ninguém e só fica a faltar uma árvore genealógica até a 10ª geração! Entregamos e... esperamos. O mais certo é não obtermos resposta o que quer dizer: azarito, a casa foi atribuída a um gajo qualquer que não tu!
Mas voltando à conversa dos Nazis: quais são os critérios de atribuição das casas? Ninguém sabe! É ao critério das imobiliárias e dos proprietários dos imóveis. Imagino que o salário auferido deve ser determinante e se houver suíços interessados esses também devem ter prioridade (é uma política cá da casa, dar prioridade aos nativos. E muito bem, digo eu!), o facto de haver crianças também é muitas vezes eliminatório, idem para animais. Mas toooooda a gente me diz que levaram entre 3 e 6 meses a encontrar casa em Lausanne. Pois eu devo ser um gajo com um charme do caraças!
Então não é que encontrei a casa onde estou actualmente ao final da minha 2ª semana de Suíça? "Milagre" exclamaram os meus colegas mais antigos, "sorte de principiante" alvitraram outros, "nunca mais te acontece" advertiram ainda uns terceiros. Pois bem, não estando contente com o meu actual apartamento, eis que me lanço no início de mais uma demanda de um apartamento mais conveniente. E sabem que mais? Ao fim de duas semanas de procura, eis que me ligam de uma imobiliária dizendo "Monsieur Miguel, o apartamento situado na avenida X foi-lhe atribuído". AHAHAHAHAHAHA!!
Um apartamento situado a 5 minutos a pé da escola do Gabriel, a 15 minutos a pé do meu trabalho, com autocarro para o centro da cidade à porta e 3 supermercados, os correios e o meu banco à porta!!!
Bem, se os suíços são um bocado nazis então a minha foto deve dar ares de um certo "arianismo" do alto do meu 1,78m e com os meus loiríssimos cabelos pretos e os meus olhos de um castanho azulado!!

6 comentários:

Ana C. disse...

Eles cheiram um compincha nazi a quilómetros de distância :)
Tu estás viciado na competição pelas casas, é o que é!

ʝoana disse...

Bolas, não sabia que era assim. Parece difícil mas extremamente organizado viver numa cidade assim.

As tuas histórias desde que te lançaste nesta aventura têm-me cativado mais. Acho que é a ânsia de um dia fazer o mesmo depois de tirar o curso. ;)

Ana Ferreira disse...

lol és mesmo um lucky guy, é a conclusão a que chego!!(e ainda bem)

Madalena Sousa disse...

Eles gostam dos tugas, é o que é! LoL.

Anónimo disse...

Tenho uma melhor para ti :)
Toda essa historia de "candidatura " a casa é verdade e também aqui onde moro.
Aqui, quando vais sair da casa ou, das 3 meses de aviso ou arranjas alguem.
Eu cheguei a 3 de janeiro e pedio a um colega de trabalho tuga se me podia ajudar a encontrar casa, que nao queria estar mto tempo no aparhotel. Tenho já uma: a minha!
e eu "ai...entao" e ele "vou mudar para o piso de baixo e podes vir já para esta assim que chegares" e estou nela até hoje, no melhor bairro da cidade, a menos de 10 min a pé do trabalho e com todas as facilidades perto, e sem barulho de carros, só mesmo os locais!!!
Cada vez que me pedem ajuda e me perguntam como consegui começo sempre por dizer "eu não sou um bom exemplo:)"
Carmen

Naná disse...

O G. também conhece a Suíça, mas a parte alemã, porque a irmã dele emigrou para lá e ele fala muito bem do país, diz que é tudo mais organizado, todos respeitam as regras e sim, ele diz que eles são um bocado nazis também! Mas o G. adora aquilo, diz que cá devíamos ter mais esse espírito!
E ele também elogia a forma como as cidades estão organizadas, e principalmente a forma como os espaços verdes estão limpos, organizados, tratados.