segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Portugal começa por C.

Em todos as situações, todos os planos, todas as investigações temos de ter em conta o Factor X, ou seja, tudo o que não podemos controlar, que não depende da nossa vontade ou acções. Em Portugal, para tudo, temos sempre de ter em conta o Factor C. Cunha, Conhecido, Comprar, Corromper (veja-se o Caso Freeport. A propósito: quem acredita que o Sócrates está "limpo"?). Tudo neste país funciona assim. O Hospital onde trabalho é o exemplo vivo disso. A quem vai pelas vias normais entregar o seu currículo ao Serviço de Pessoal a resposta é sempre a mesma: "De momento não precisamos de enfermeiros." e isto aconteceu a amigos meus. Mas depois existe a "porta de serviço": ontem apresentou-se uma enfermeira nova cá no serviço. Recém-formada, com muita vontade mas pouco currículo e tendo ultrapassado centenas de candidatos bem melhor preparados. Porquê? Bom, a sua mãe é funcionária cá no hospital. E tem sido assim com as últimas pessoas que temos recebido.
A Cunha é já uma instituição! É de tal forma tida em conta que só falta ir escarrapachado no currículo uma alínea: C) é "apadrinhado" por Sr. Fulano-de-Tal. Sendo honesto, isso já acontece mas em forma de post-it colado na folha de rosto do CV. É o principal factor que se tem em conta quando se procura um emprego.
Aqui, neste ponto, devo ser o único funcionário do mundo que precisa de uma cunhazita, não para entrar numa instituição mas para SAIR de uma!!! Sou ou não sou um tipo interessante, hem? Pois assim é. Estou preso a estes indivíduos com algemas burocráticas. Então andei hoje em telefonemas para "amigos-de-amigos" que estão colocados em locais estratégicos, para que o meu pedido seja aceite.
É isto.
PS: já agora peço-vos um favorzito: pensem cá no McSleepy e mandem ondas positivas a ver se isto corre bem, OK? Obrigadinho.

8 comentários:

rosemary disse...

Nem me digas nada! Eu tenho visto com cada uma... No hopital então é ainda mais evidente, descaradamente até! Para um trabalho de plano de Verão vi uma tipa, que nem o 12ºano tinha, passar à minha frente só porque o tio trabalha lá! Inacreditável!
É uma coisa que me irrita profundamente...
Bjs*

Sanxeri disse...

Cunhas, coisinhas mais injustas. Neste país o sol não nasce para todos de forma igual.

undutchablegirl disse...

Uma onda muito positiva, directamente da Holanda para o McSleepy!
Por aqui as empresas incentivam os funcionários a apresentar-lhes amigos ou conhecidos que achem qualificados para determinada função. Se depois da entrevista a pessoa em questão ficar, o funcionário que a indicou tem direito a uma pequena gratificação de 500 ou 600 euritos. É uma forma rápida e menos dispendiosa (porque dispensa os serviços da agência de recrutamento) de resolver uma falha que havia por colmatar. E tanto quanto sei, é prática corrente.

MA-S disse...

Chamem-me o que quiserem...mas quando acabar o curso quero um factor C só para mim!lol
Caro McDorminhoco...obrigado pelo seu comentário (já vai atrasado mas lembrei-me agora)
inté*

banita disse...

Coisa boa essa na Holanda! Pelo menos é às claras! Recebe-se por dar juntar a fome com vontade de comer! Que fixe!
E sai uma onda positiva para o McSleepy!
Espero que tudo corra conforme desejes! :) Com ou sem o factor C.

Ana C. disse...

Só para te enviar uma onda gigante de positivismo :)

JBrito disse...

Onde assino?

Bypassone disse...

É por essas e por outras que querem introduzir o "Curriculum anónimo" aqui na Suíça. Constam as habilitações literarias e experiencia profissional, todos os contactos, mas.... nada de nome nem morada. Se o candidato for bom, é contactado e SÓ NESSE MOMENTO é que tem que dar os dados pessoais. Pena ser só um projecto-piloto, por enquanto...