segunda-feira, 17 de maio de 2010

E eu nem sequer gostava de correr!

Quando comecei nesta história das corridas não esperava encontrar-me onde estou hoje! Andava num ginásio condicionado por um horário e não via grandes resultados. Depois, por acaso, comprei uns ténis Nike e descobri o sistema Nike+. Larguei o ginásio e comecei a correr.
A primeira corrida durou cerca de 2 km e estava exausto no fim! Caramba, eu nem gostava de correr e andava, feito artista, a correr pelas ruas circundantes á minha casa! Mas mantive-me firme nos meus propósitos: precisava de ficar em forma e de emagrecer! Ficar em forma porque o Gabriel ADORA correr, correr, correr e quando se cansa... repousa um pouco (uns 30 seg.!) e volta ás corridas e eu já não tinha "peito" para aguentar o ritmo e emagrecer porque, muito embora eu nunca tenha sido gordo, havia uma inestética barriguinha incómoda que teimava em não desaparecer! E digo "havia" porque ela foi-se! Hoje, cerca de 7 meses depois da minha primeira corrida perdi cerca de 6 quilos e corri já cerca de 570 km! Hoje a minha distância confortável são os 10 km que percorro sem sobressaltos e de forma confortável.
A corrida funciona hoje como um momento de escape. São cerca de 50 min em que sou apenas eu, o meu iPod e a estrada. E a estrada nunca se queixa! A estrada fica com todas as nossas frustrações e revoltas, o nosso stress e as nossas angustias. E está sempre lá para nós! Hoje olho para a estrada de uma maneira diferente, já não é apenas uma faixa que liga A a B. Hoje olho para a estrada e descubro muitas vezes novos percursos para correr e, a correr encontro coisas que nunca vi de dentro do carro. Corro pelos trilhos interiores da mata que contorno todos os dias no meu carro e não raras vezes há coelhos selvagens que correm à minha frente por uns metros para depois se esconderem nos arbustos. Corro por um trilho que fica entre a autoestrada A2 e a linha do comboio da ponte e ali, naquela faixa de terreno que não pertence a ninguém estou tão perto mas tão longe dos carros que aceleram e do barulho do comboio nos carris. Descobri que quando corremos tornamo-nos parte da paisagem. E percebi ainda que as distâncias somos nós que as fazemos! Que fazemos demasiados km de carro, que 5 km é já ali e que aquele sítio que julgávamos tão distante fica apenas a 3 km!
Mas, durante este mês descobri que a corrida não tem de ser um exercício solitário. Nos treinos Nike Running conheci outros corredores, a esmagadora maioria muito mais experientes que eu e facilmente entrei no grupo. Porque falamos a mesma linguagem, porque partilhamos experiências semelhantes e, de repente eis que dividimos as pessoas entre os que correm e os que não correm! Descobri que se pode partilhar uma corrida e que se corre mais e melhor quando alguém "puxa" por nós. E que não há limite de atletas no jogo das corridas! Na corrida não somos nós contra eles, sou eu contra mim próprio, contra as minhas limitações e com as minhas capacidades. Aqui não há erros de arbitragem, não há túneis, não há apitos dourados. Aqui ganha quem correr mais.
No próximo dia 30 vou participar na Corrida Novas Oportunidades. São os meus primeiros 10 km em prova. Objectivos? Dar o meu melhor e perceber qual é o meu lugar numa competição. Correr para ver! A longo prazo gostaria de correr a Meia-Maratona de Lisboa de 2011. Uns (ainda) inacessíveis 21 km! Mas, por outro lado, ainda só há sete meses eu achava que nunca correria os 10 km...
(Treino Nike Runnig de 15 de Maio de 2010, Praia da Cabana do Pescador, Costa da Caparica)



3 comentários:

Precis Almana disse...

Em miúda cheguei a entrar em provas de atletismo. Depois fui crescendo e ia sempre correndo alguma coisa aos fins-de-semana principalmente. Desde 2000 que fazia as mini-maratonas da 25 de Abril e cheguei a ir à da Vasco da Gama.
Em 2006 tive diagnosticada a hérnia discal lombar e várias discopatias - já há muitos anos que tinha dores ocasionais nas costas e havia médicos que diziam que eu nem ginástica devia fazer. A partir de 2006 nunca mais corri. Fui operada em 2009 e nunca mais posso correr. Tenho uma pena que não sei se consegues imaginar. Nunca fui de velocidades, sempre gostei de resistência. Aproveita. E corre por mim ;-)

Filipe Fidalgo disse...

Olá, Miguel.
Desde já o muito obrigado pela tua visita ao corrredor de Domingo, é sempre bom ter a visita de alguém que como eu também gosta correr.
Aproveita o que a corrida te dá em cada passada, em cada trilho em cada estrada, absorve a sensação de liberdade, pois só assim sentirás o verdadeiro prazer de correr.
Parabéns pelos objectivos que já alcanças-te, certamente muitos outros se seguirão.
Dia 30 lá estaremos na corrida das novas oportunidades, vou ver se te encontro companheiro.
um abraço,
Filipe Fidalgo

Susana disse...

Olá . :)
Estou aqui há umas horas a ler o teu blog quando me deparo com este texto . Não imaginas o quão surpreendida estou , até porque ontem tomei a decisão que hoje ia começar a correr todos os dias . Não sei até que ponto aguentarei o desafio que propus a mim mesma , mas espero acabar como tu . :)