terça-feira, 19 de outubro de 2010

Em jeito de desabafo...

Hoje uma conhecida disse-me que tinha um "feeling" que eu não iria sair de Portugal. Nada de novo. Tivesse eu um euro por cada pessoa que me diz que não acredita, só acredita quando vir, que isto é conversa para aliviar o stress, etc, etc, etc. A maioria destas pessoas, quero acreditar, não o diz por mal, não para agoirar ou com má intenção. Aliás, as pessoas que sabem deste projecto são pessoas que trabalham comigo e que, no final da conversa me dizem meigamente que lhes vai custar deixar de trabalhar comigo. E isso acaba por ser bom! Mas voltando aos "feelings", o que me parece é que tudo isto lhes parece demasiado grande, demasiado trabalhoso e, acima de tudo, demasiado arriscado para se fazer. Afinal, eu até tenho um emprego certinho do Estado. Ao menos esses não falham, está lá o dinheirinho no 21 de cada mês, não serei despedido porque sou efectivo. É só vantagens porque raio vais agora lá pró frio, para a neve, ainda por cima para um país sem graça nenhuma? Nãããã! Isso és tu a aliviar o stress!
Calculo, admito que esta tarefa lhes pareça demasiado hercúlea para levar a cabo sem ajuda. Caramba, a mim aperta-me o peito só de pensar em toda a logística que teremos de enfrentar na altura da mudança, na hipótese (enormíssima!) de não conseguir vender a minha casa e ficar com uma renda importante em Portugal, em como encaixar o timing entre o fim do meu contrato cá e o início lá, o tempo que terei na procura (que se prevê difícil!) de uma casa lá, enviar os nossos pertences (poucos) para essa nova casa, na escolha das escolas para os miúdos e depois, bem depois é um país novo, uma língua que domino mas que não é a minha, uma experiência profissional completamente nova num ambiente que não se prevê muito acolhedor e todo o stress emocional que vai concerteza abater-se sobre toda a família! Por isso agradeço imenso que não me digam que têm um feeling que fico cá, que ainda mudo de ideias, que isto são desabafos de um jovem que gostaria de melhorar a vida mas que, enfim, a vida é assim e em Portugal, ao menos o café é bom e barato e a praia é de graça. A sério. Isso não me demove mas faz-me sofrer um pouco. Eu sei que é um enoooorme passo, eu sei que é arriscado, eu sei que as coisas podem correr mal por isso não precisam de mo relembrar.
Sejam hipócritas que não me importo. Mesmo que achem que me vou estatelar ao comprido um simples "Vai tudo correr bem." é suficiente. Ou então, não digam nada.

18 comentários:

Sahaisis disse...

Boa sorte...e não leves os velhos do restelo a peito..não o merecem ;)

Melissinha disse...

Pois eu não tenho a menor dúvidas de que vais. Numa situação muito mais complicada arribaram os meus pais do Brasil.

Ginguba disse...

Pois eu estava numa de não dizer nada. Mas olha, fizeste-me comichão!
Eu espero que vão e que corra tudo bem. Quanto às questões do emprego público e da casa, já deves ter pensado nisso, mas acho que ainda existe a figura da licença sem vencimento, deixando a porta aberta caso as coisas corram menos bem e queiras voltar. Se não conseguires vender a casa, talvez possas alugar.
Felicidades e força nisso!
Queria eu ter essa coragem!

AnaD disse...

"ainda por cima para um país sem graça nenhuma" com estas os velhos do Restelo perderam toda a credibilidade... depois manda-lhe um postalito de Ouchy (ai saudades) posso garantir que é um país com muita graça, em vários sentidos.

Não vai ser fácil, afinal é uma grande mudança, mas acredito que vai correr bem.

A questão da casa é um problema que têm de prepara com antecedência. Não é fácil encontrar casa por aquelas bandas.

Ana C. disse...

Eu tenho um feeling que vais ficar cá.

Ana C. disse...

Não resisti :) É claro que vais homem, que eu preciso de te encomendar diversas variedades de queijo e relógios. Também tenho uns milhões depositados numa conta nesse país neutro e preciso de quem me gira o dinheiro pessoalmente.
O lago Leman é lindo e a Suíça um país civilizado, onde os emigrantes vingam sim.
A minha tia casou com um suiço (já te tinha dito?) e viveu lá 17 belos anos, findos os quais regressou a esta bela merda e passa os seus dias em organizações de protesto contra o que se faz de mal em Portugal.

Aline disse...

Querer é vencer. E se queres muito, porque haveria de correr mal? Força!

Melissinha disse...

E já agora vê se tornas aquele povo horroroso um cadito menos reaccionário, camarada.

Doce disse...

A nossa liberdade termina quando começa a dos outros. Basta respeitarem a tua opinião. E se por um lado vai ser complicado, por outro é uma aventura. Quem sabe a aventura das vossas vidas. Boa sorte

Cindy disse...

Quantos foram os nossos familiares que foram para o estrangeiro com filhos e mulheres a arriscar um tiro no escuro? Hoje em dia há informações, há a internet, que é uma ferramenta crucial para se saber o que quer que seja.
Não desistas dos teus sonhos. Quem não arrisca, não petisca!
A maior sorte do Mundo!
Beijos

disse...

Filha de pais emigrantes, daqueles que atravessaram a fronteira sem qualquer tipo de documento, sem casa, sem dinheiro, sem comida e que vingaram por terras francesas, digo-lhe que não vai ser fácil (como já se apercebeu pelo que escreve!), mas a vontade de ir, de mudar, de ser diferente, mas sobretudo de ser feliz, vai fazer com que tudo seja encarado com esperança e preserverança!
Claro que vão! E sim, vai correr bem...
Áqueles que cá ficam e que não acreditam, pensem que deveriam vencer o medo de mudar!

Precis Almana disse...

Tenho uns amigos que, como um filho pequenito, foram para a Dinamarca. Imaginas? Sem saberem a língua, a diferença é que trabalham num meio em que se fala inglês. Mas não sabem a língua para tudo o resto. Estão lá há 5 anos, têm mais uma filha e a vida corre-lhes de feição. Ganham muito mais dinheiro e, mais importante, estão entusiasmados com o que fazem. Têm saudades, ok. Mas aqui não tinham saudades e não gostavam da vida diária que levavam. Entre uma coisa e a outra, a escolha foi óbvia.
Quem te diz isso são pessoas que também já pensaram ir embora e a quem falta a coragem.
Quanto aos feelings, manda-os jogar no Euromilhões :-p

gralha disse...

Eu tenho um feeling que vocês são uma família cheia de coragem para o que der e vier!
As pessoas gostam de ter feelings que nos contrariam. Comigo, toda a gente tem feeling que não volto a Portugal.
Boa sorte com a (grande) empreitada, vale a pena se é mesmo o que desejam :)

Sandra disse...

Antes de mais: Força!!
Com a melhor das intenções estão sempre todos a bater na mesma tecla...nada de esmorecer.
Outra pergunta que se impõe, importante para quem gosta muito de passar os olhos nas palavras deste blogue: O CHEIRINHO A ÉTER é para continuar??
Será com certeza um bom meio para aliviar tensões e saudades!!!

caminhante disse...

gente com dor no epicôndilo... é reencaminhar para um ortopedista (^_~)

abraçinho a todos Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

Patty disse...

Desejo-lhe boa sorte. Coragem não vos falta! Eu sai de Portugal
um pouco à aventura e encontrei na Holanda a felicidade que tanto buscava.Tive que voltar a PT... mas as saudades são muitas! Já trabalhei na Suíça e correu tudo bem, é um país lindo que recebe bem os emigrantes. Tenho um familiar que por lá ficou. De enfermeiro passou a chefe de uma casa de saúde! E não dominavava a língua. Com força de vontade e trabalho quase nada é impossivel.

Charlie disse...

Ohh, sempre que as pessoas vêm outra que tem a possibilidade de mudar para melhor, ficam logo a morrer de inveja.
A "galinha do vizinho não é sempre melhor que a minha"?
Nunca ouço essas opiniões ridículas das pessoas que "gostam de estar no seu cantinho". Toda a gente tem o desejo de mudar para melhor, mas nem todos têm a coragem para isso. Acho que se o Miguel tem a oportunidade de mudar, deve seguir em frente! Até para os seus filhos, deve ser tão giro! Daqui a uns anos, falam eles perfeitamente outra língua, ou se calhar ainda ficam por lá a estudar (depois na universidade)… Nunca se sabe  Boa sorte! Por favor actualize o blog com as mudanças e tudo o resto :D

S' disse...

Não faço a mais pálida ideia de quem sejas mas com este post não dá para ter dúvidas!até eu tenho a certeza que vai correr tudo bem!porque quem deseja algo com tanta força facilmente encontra a escola ideal para os miúdos, a forma de gerir o stress de todos em casa, um bom emprego e a melhor forma de gerir o fim de um e o início do seguinte...quanto a casa já não consigo ser tão optimista, mas também nao é razao porque tudo se resolve :)