domingo, 3 de outubro de 2010

Para fim de conversa.

Como era de prever, começaram as mensagens de protesto, desagrado, ódio relativamente à decisão de não levarmos connosco o Gastão na nossa viagem. Quem lê este blog, quem me conhece através dele, sabe que sou um defensor dos animais como outro qualquer. Sabe que sou contra as touradas e que abomino o abandono de animais. Para os que me criticam em tenho algo a dizer: não pensem que é fácil para mim essa decisão. Não vos pesa mais a vós do que a mim. Lembrem-se que fui eu que o adoptei, o tirei da rua, que o tratei, com quem brinquei, com quem o meu filho brinca. Não foi nenhum de vós, críticos. E lembrem-se que seria muito mais fácil para mim deixá-lo num canil, na rua ou até mandar abater o Gastão. Mas não, não é nada disso que se trata. Trata-se apenas de encontrar uma família que cuide dele. E nós queremos manter a nossa parte de responsabilidade por ele, se não presencial, através do suporte das despesas que ele possa trazer até ao final da sua vida.
Podem especular sobre o que poderíamos ou não fazer, sobre estratégias a adoptar, sobre o que quiserem mas não esqueçam nunca que planeámos isto nos últimos 2 anos (!) e que ele é a nossa prioridade número um. Muitas lágrimas foram já choradas debatendo esta situação. Por isso, já que são tão amiguinhos dos animais, poupem as energias que gastam a escrever textos cheios de veneno e ataques. Já sabemos que não nos querem bem, que somos umas bestas. Mas o Gastão continua a precisar de ajuda. Sendo ele um animal e sendo vós arautos defensores dos animais... é fazer as contas.
Obrigado e bom dia.

11 comentários:

Joao disse...

Sendo eu um apaixonado por cães, que infelizmente não posso ter, compreendo inteiramente o sofrimento que vos causa ter de o deixar para trás.

Deixo-vos um abraço de solidariedade, e votos de que o Gastão encontre uma família que o acolha bem.

Anónimo disse...

Para os Pseudo defensores dos animais:
Quem de voçês adoptou um cão, do tamanho de um pequeno pónei,com cerca de 1 ano,em pleno Inverno e coberto de lama, impossivel de dar banho e o levou para um apartamento?
Quem de voçês permitiu que o seu cão destruisse a porta de entrada (entre outras coisas), com sistema de segurança, e ainda por cima vivia numa casa alugada?
E quem depois disso,levou consigo o cão para este não ficar sozinho em casa,cerca de um mês a fio,permitindo que o cão destruisse partes do carro e até abdicasse da sua vida social?
E quem, mesmo encontrada uma solução,mudando para uma casa com espaço exterior mas na impossibilidade de a habitar no tempo definido fez 60 km todos os dias só para colocar o seu adorado cão, alimentá-lo e passeá-lo?
Já agora, quem adoptou um verdadeiro rafeiro que não consegue disciplinar porque é um verdadeiro "cão de rua", que desaparece ao minimo descuido, mas mesmo assim,partilha a sua vida e a dos filhos,e já deixou de dormir várias noites só para o procurar e encontrar (porque ele gosta de uns belos passeios)?
E por ultimo, quem, para assegurar a sua situação financeira e manter alguma qualidade de vida muda de pais, mas permite que o seu cão continue no ambiente que lhe traz felicidade?
Eu respondo:utópicamente muitos mas verdadeiramente, acho que poucos.
Seria egoismo, senão estupidez da nossa parte, querer levar o Gastão connosco, porque ninguém melhor do que nós o conhece e tenho a certeza que quem gosta de verdade dos cães o poderá fazer muito feliz!
E tenho dito. A dona do Gastão, Mariana.

Elisabete Martins disse...

Tenho muita pena de vos ver partir sem ter tido o prazer de vos conhecer pessoalmente. Temos de combinar para virem cá a casa.

As maiores felicidades do mundo,
Beta & Co.

Miguel Vicente disse...

Caros Miguel e Mariana,

Infelizmente não posso ficar com o Gastão (por motivos de saúde), contudo e apenas conseguindo fazer isto, apoio-vos no vosso projecto e orientação para o mesmo para a,ém de divulgar também o Asas para Voar/ Gastão "issue". Louvo o vosso empenho no Gastão e quero dizer que acredito plenamente no quão doloroso é a vossa decisão, para além da reacção que os vossos miúdos deverão ter quando o tempo chegar de deixar o Gastão ir.

Tretas e pseudo defensores dos animais da treta à parte, estou convosco e aprecio a vossa racionalidade e empenho em resolver esta questão de forma salutar e moralmente correcta.

Parabéns e boa sorte para tudo. Sinceramente.

Melissinha disse...

Ihh Miguel, assim que vi o post pensei que era só uma questão de tempo até esses imbecis aparecerem. Aparecem sempre nessas situações. E são uns imbecis, pronto.

Chokkie disse...

Talvez quem nunca tenha tido um cão e de porte generoso possa tecer tais críticas. Eu tenho um golden que adoro mas a minha vida vais mudar e por mais que me dilacere sei que não lhe poderei dar as melhores condições e também pondero se tiver mesmo de lhe arranjar uma nova família mas também nunca me desligando totalmente dele. Adoro animais e vou pôr o apelo para o Gastão nas várias páginas de protecção de animais de que faço parte no FB. Para evoluirmos há certas coisas que infelizmente temos de deixar para trás. Espero que tudo se resolva da melhor forma, para vós e para o Gastão.

I. disse...

Não tenho moral para julgar as vossas motivações. Tenho muita pena que não possam levar o Gastão, mas desejo sinceramente que lhe arranjem uma casinha e uma família à altura.(eu não posso, não tenho condições para um canito, por isso é que tenho uma felina)

Anónimo disse...

POr favor, não se deixem abalar pela maldade e parvoíce alheia.

Coragem!

caminhante disse...

eu não quero imaginar o que a família toda deve estar a passar com a separação do gastão. mas vai tudo correr bem, tenho a certeza. e quanto aos protestos, deixa... eles não sabem do que falam.

mãe pimpolha disse...

Eu nem devia ter ido ver o outro blog, fiquei completamente apaixonada. Tb tenho um cão, o Gaspar, que veio da rua. Deitou-se no nosso jardim e já não se foi embora. Adoro-o tanto que morria se o tivesse que deixar, por isso compreendo bem essa dor.
Boa sorte.

costela de adão disse...

Só quem não consegue perceber pelas palavras que escreveste o quanto a decisão de deixar o Gastão, tentando assegurar-lhe uma boa família de acolhimento, é difícil, é que pode vir com sete pedras nas mãos. Como todos sabemos falar é fácil, já fazer, nem tanto. Falam falam mas chegar-se à frente...hum...ná, isso dá trabalho, pá! (Movimento Perpétuo Associativo dos Deolinda, anyone?!)Olha eu gosto de animais, cães principalmente, mas por viver num apartamento nunca quis cães, por achar que precisam de espaço. E pelo tamanho do Gastão ele precisa de um lar com espaço para dar azo às suas brincadeiras. A vossa decisão não terá sido nada fácil e na hora de partir nem quero imaginar. Espero que consigam encontrar-lhe um lar como ele merece, para que possam ir tranquilos.