quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Ruca: a dura realidade.

A Banita fez-me um apelo. E é um apelo bem nobre. Sobre esse assunto escrevi este texto há quase 2 anos, que recupero agora. Ajudem, se puderem...
Todos conhecemos o Ruca. Estrela de TV, ídolo dos petizes dos 2 aos 6 anos faz o delírio da pequenada juntamente com o Noddy e com o Bob, O Construtor. Mas o Ruca é diferente. Sempre bem comportado, este menino não faz uma birra. Como ele próprio canta: "Eu sou um rapazinho, embora pequenino tenho muito tino, sou o Ruca.". E bem. Este menino está sempre disposto a ouvir os pais, é sempre compreensivo, amigo dos seus amigos, altruísta e sempre meigo com a sua irmã mais nova, Rosita.

Tenho acompanhado a carreira desta jovem estrela, tendo começado há cerca de 7 anos quando o Ruca ainda era um pequeno quase desconhecido e, após algum tempo de afastamento, retomei a minha relação com este jovem. Qual o meu espanto quando me apercebo de algumas coisas: a Rosita cresceu, mas o Ruca não. Os seus amiguinhos também estão diferentes mas não o bom velho Ruca. O Ruca continua a vestir as mesmas roupas de há 7 anos, assim como os seus pais. Reparei que o Ruca, além de continuar careca, mantém aquela cabeça desproporcionalmente grande em relação ao resto do corpo. E continua no Jardim de Infância. E continua a chamar pela mãe e pelo pai à mínima dificuldade, como seja trepar a uma árvore ou subir para cima de uma pedra.

Após alguns contactos com pessoas conhecidas deste meio em que trabalho, chegou-me a triste notícia: o Ruca está gravemente doente! Pensa-se que poderá ser... leucemia. O pesar toma conta de todos os fãs.

Mas este facto explica muito do comportamento deste miúdo: o amadurecimento precoce, a compreensão e a meiguice. Tudo estratégias para aproveitar a vida o melhor possível. Por outro lado, é também esse o objectivo dos pais com aquele comportamento delicodoce e sempre pedagógico de disponibilidade total. O facto de todos usarem a mesma roupa há anos prende-se com as enormes dificuldades financeiras por que passa toda a família, decorrentes dos tratamentos do rapaz. Enfim, mais um exemplo de que as figuras públicas também são seres humanos.

Gostava de aproveitar esta situação que nos afecta a todos, para apelar a toda a gente que por aqui passar os olhos: inscreva-se na lista de dadores de medula óssea. Pode salvar uma vida e não custa nada! Implica apenas uma colheita de sangue no início e, caso seja compatível com algum doente que necessite, uma pequena intervenção com anestesia local para colheita de células de medula. Não seja medricas como estes!

Ajude o Ruca, ajude quem precisa.

6 comentários:

JS disse...

Hoje voltou a falar mais alto!!!

Bem haja por abordar essa questao.

Ana C. disse...

O problema é que os nossos filhos não copiam o bom comportamento e compreensão sem limites do Ruca. Eles exigem é que sejamos como os pais do Ruca. Sempre disponíveis, com uma palavra de confiança, uma história para contar, uma conversa séria para ter. Que pais do outro mundo que nunca se passam da cabeça, nem uma vez. Depois a mãe do Ruca, a verdadeira matrona. Porque é que não podia arranjar-se um bocadinho melhor? Lá por ser mãe, não quer dizer que tenha que andar de chinelos o dia inteiro...
A minha filha agora já deixou o Ruca de sotaque tripeiro. Está numa de Litlle Einsteins.(aconselho, ensinam a música de maneira divertida)
Bem, que grande comentário.
Quanto aos dadores foi bom teres lembrado.

banita disse...

Eu já estou inscrita há muito tempo no banco de dadores de medula óssea.
Quando eu tinha 12 anos a minha prima de 9 morreu de leucemia...

JBrito disse...

O Ruca é um BONECO dos meninos que inicialmente estão a ouvir a tal avó, daí que toda a séria desde que entra o "desgraçado" estão envolta de uma névoa!?!??
A histórias são do suposto boneco o "Ruca", super bem comportado, não estamos a ver uma avó a contar uma história de petiz terrorista certo?
Certo.
oK "to dos" para 2009 - inscrição na lista de dadores de medula óssea.
E é assim.

Anónimo disse...

agora sim kompreendo porke o ruca e careca.triste ,mas uma bela historia de vida.nao nos podemos eskecer de kem presisa de nos.força para todos os doentes cronicos bjs

Tia Complicações disse...

Mesmo no limite de idade (há 3 anos) fiz questão de fazer parte dessa lista de dadores de medula, nunca me fui solicitada para prestar essa boa acção. Enfim espero ainda um dia ajudar alguém ...