segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

A propósito de odores...

(e ao fim de 22 post, cá vem o inevitável tema preferido do bom enfermeiro, que sempre vem à baila nos jantares com amigos: odores e todo o tipo de matéria orgânica (gosma) que o corpo humano é capaz de produzir.)
A primeira reacção que obtenho da maioria das pessoas, quando estas descobrem que sou enfermeiro é: "Qu'horror!!! Não suporto o cheiro a hospital!" Convém dizer que, na maioria dos casos se estão a referir ao cheiro a éter... Mas não, esse não é de todo o pior dos odores que se pode inalar num qualquer hospital.
Vejamos então, comecemos por algo familiar e que todos já cheiramos, numa ou noutra ocasião. Algo softcore como... as fezes. Ah, a bela caca. Muitos dos homens que eu conheço não mudam as fraldas dos filhos por causa do cheirinho que "não suporto", "dá-me vómitos", "fico enjoado". A esses eu defino numa palavra: mariquinhas! Ou isso ou então são casados com umas santas que acreditam em tudo o que lhes dizem (infelizmente, por razões profissionais, não posso utilizar a mesma desculpa!).Meus amigos, a caquinha dos nossos filhotes é como o "Channel nº5" ao pé das verdadeiras e reais bostas! Se as normais já são o que são, nem imaginam a variedade de odores das fezes: com sangue (as piores!), derivadas de alguns fármacos, diarreias infecciosas, resultantes de neoplasias do tracto gastrointestinal... enfim, do melhor. E acrescente-se que começamos o dia com os banhinhos aos doentes por isso... é uma lufada de ar fresco logo pela manhã!!!
Avante, os vómitos. Não esses normais, alimentares ou da bebedeira, mas os patológicos. existe um em particular que é espectacular: o chamado vómito fecalóide. Acontece quando o intestino está obstruído e a matéria fecal (voltamos à caca portanto) não consegue seguir o seu curso normal. Adivinhem lá qual é o caminha alternativo? Pois é.... adivinharam!!!
Continuam por aí??
Podemos continuar?
Continuamos com as feridas, nomeadamente as ulceras de pressão infectadas!! É impressionante o que uns bicharocos microscópicos conseguem produzir, em termos de cheirinho. Já não bastava a visão de buracos abertos na carne do doente, assim como se tivessem tirado um bocado com aquelas colheres de fazer as bolas de gelado, mas com tamanho e profundidade suficientes para que lá caiba um punho fechado de um adulto, essa visão é acompanhada com aquele cheirinho a podre. Isso e feridas não tratadas por longos períodos de tempo (como acontece muito frequentemente com os sem-abrigo) onde o cheiro nos invade antes mesmo de abrirmos o penso e quando o abrimos deparamo-nos com umas minhoquinhas (na minha terra chamam-se murcões) a banquetearem-se na perninha do desgraçado!!! Fantástico!
Na mesma linha, a da infecção, temos os quistos. O que eu gosto de espremer aquilo!! Quando estão "madurinhos" é só dar um pequeno corte com um bisturi e voilá, toneladas de gosma amarela malcheirosa pelo ar. Só a título de curiosidade, o maior que drenei resultou num saldo de mais de 2 litros (não, não estou a gozar), 2 litros de pús!!!!
Depois temos coisinhas menores, que já nem incomodam.
Conselho: pensem bem antes de irem partilhar uma refeição com um enfermeiro. Aliás, pensem muuuito bem antes de partilharem uma refeição com um grupo de enfermeiros. Não os encorajem a falar de trabalho porque vão ouvir este tipo de histórias e, garanto-vos, escrito não tem o mesmo impacto que uma descrição oral bem pormenorizada e utilizando exemplos na mesa como: o puré, a baba de camelo, o batido de morango, o doce de natas, as batatas a murro...
Mas hoje, depois de ser atingido por um odor deste tipo lembrei-me que poderia ser um bom tema para o blog.
Ainda aí estão?

8 comentários:

JBrito disse...

Só tipo de passagem pela sua barraca (blog)com a curiosidade deste novo “enfermeiro” (eu), enfermeiro não como á séria mas como enfermeiro de tipo Pai enfermeiro, que vai analisando os sintomas da Chiquilim (a minha filha de 21meses) com ajuda da saúde 24, e médica de família e sua ramificações associadas pelo o que já passou, e algumas coisas bem engraçadas (hoje), infecções urinárias e resultado desta o internamento, varicela, febres altas, gastroecoiso, entre outros ranhos do infantário…
Pode contar com a minha visita aqui na Barraca, agora deve perguntar como vêm cá parar? No Qual eu respondo; pela Banita.
Aquele abraço

Chocolatsuisse disse...

Pronto, não devia ter vindo aqui logo pela manhã, mesmo a seguir ao pequeno almoço.
Acho que a mim (nunca tive de sentir esses odores que descreve)a coisa que me dá mais vontade de vomitar, é ver alguém a fazê-lo, já fui tripulante de ambulâncias e uma vez passei mesmo mal pois a senhora vomitou-me em cima, felizmente eu não tinha nada no estômago, lool.
Mas enfim, quando temos de fazer, engolimos a vontade de vomitar e seguimos em frente.

banita disse...

Bem, estas descrições deixaram-me... bom, não me deixaram indiferente;) LOL
Eu que adoro espremer, borbulhas, pontos negros e afins, sejam meus ou alheios, fico literalmente a salivar, não sei como reagiria se espremesse 2 litros de pús... das 2 uma: ou vomitava ou tinha de arranjar um balde para ir cuspindo a saliva... LOL
O recado está dado: um dia que almoce com enfermeiros, é melhor não perguntar: e o trabalho, como é que vai? Estás a gostar?

socasmoinhosebicicletas disse...

Deveras esclarecedor este post. Muito obrigada pela descrição pormenorizada. É por estas e por outras que quando converso com pessoas ligadas à area, prefiro falar sobre as últimas tendências da moda. :-)

Cat disse...

E o cheiro inconfundivel das melenas? Entra-se numa enfermaria e pode logo dizer-se "hum...esta aqui um doente c melenas" x)

Cat disse...

E nunca te disseram "eu nao dava para isso, desmaio quando vejo sangue"? Eu só penso 'coitado' e encolho os ombros.. Com a tolerancia e 'falta de nojo' que se ganha a tudo, quase se estranha as pessoas que nao sao assim :P

Bypassone disse...

Continuo a achar que o odor a "bêbado-crónico-em-chão-de-estação-de-comboios-qualquer-dia-pela-manhã" combina tds os odores mais "delikatessen": Vómito, fezes, urina, chulé, suor, tabaco e álcool (azedo). Talvez seja por isso que nunca consegui tomar o pequeno-almoço antes de sair de casa e apanhar o comboio.

Anónimo disse...

Blhaaaaaaaaac!
Sei bem o que isso é.
Já trabalhei num laboratório de análise de drogas na urina...
E que cheiretes logo pela manhã! :(

Adorei este post... fez-me lembrar o PERFUME :)

Vivam os enfermeiros! ;)