sexta-feira, 19 de março de 2010

Cuidado: este texto contém baba, muita baba!

Hoje é Dia do Pai. O meu filhote fez-me um bolo de chocolate com cobertura de natas com a frase "Feliz Dia do Pai" escrita com topping de morango. Fiquei muito mas muito contente! Brincámos aos palhaços, ás escondidas, aos sustos, com os carrinhos, fizemos uma tenda com um cobertor e as almofadas do sofá. Depois tive de vir para o trabalho e ele disse "Não quero que vás trabalhar papá...", "Mas tem de ser filho. O pai tem de ganhar dinheiro para poder comprar a tua comida, a roupa, os brinquedos.", "Então vou trabalhar contigo...". Brinco com ele mais um pouco e saio.
E venho no carro a recordar o sorriso dele, a sua alegria inocente e a sua vontade de estar comigo! A sua energia, criatividade e imaginação contagiam-me! A luz do seu sorriso é indescritível! "Orgulho" é o sentimento que melhor define o que sinto mas não é suficiente. Cada vitória dele é a minha vitória, cada palavra nova, cada salto mais alto ou mais longe, cada desenho, cada construção de lego ou de blocos de madeira são as minhas conquistas também!
A Mariana fez um vídeo delicioso onde o Gabriel me mostra o bolo que, tão orgulhosamente fez!, e faz uma pequena dedicatória (além de dar umas lambidelas no dito bolo!). Já vi esse vídeo dezenas de vezes hoje. Amo aquele miúdo incondicionalmente!
Por tudo isto simplesmente não percebo quando ouço histórias, como hoje ouvi, de pais que abandonam ou pura e simplesmente ignoram a existência de um filho. São os pai merdosos.
(Não seria justo não falar da Mariana já que, obviamente, foi dela a ideia do bolo e do vídeo! É a mulher da minha vida, uma esposa incrível e uma mãe fantástica! )

9 comentários:

sara disse...

:) Realmente o amor (varios tipos de amor) nao se explicam...apenas se sentem..

S* disse...

Eu tenho um pai merdoso.

Por isso acho lindo ver que és um bom pai. :)

Marcia Parassol disse...

É lindo ler isto! Minha filha fez uma prenda na escola para o pai, mas não houve tempo de entregar...ele viajou para a França um dia antes a trabalho. Fiquei arrasada com seu olhar triste, mas prometi à ela que vamos enviar-lhe pelo correio para a semana. Não é fácil ser pai e mãe ao mesmo tempo!

Babs disse...

:)....

costela de adão disse...

Baba tua e nos olhos de quem lê, uma lágrima. Seria tão bom qe todas as relações entre pais (mãe e pai) e filhos fossem assim.

Naná disse...

Miguel, bem hajas mesmo!
Em casa tenho um homem assim também! Que se revelou a cada dia desde que se tornou pai.
Também não compreendo como há pais e mães que abandonam criaturas tão lindas e principalmente indefesas perante este mundo... como são capazes não sei...
Quanto ao meu pai, este foi o primeiro dia do Pai que não o pude cumprimentar, porque ele já cá não está... sempre tivémos um relacionamento complicado, que se complicou ao longo dos anos cada vez mais, mas que depois melhorou quando sai de casa para ir viver com o meu marido e especialmente quando nasceu o meu filho.
Mas apesar das mágoas, sinto tanto a falta dele e o que me lembro mais dele são os tempos em que eu era criança e o idolatrava e dizia que queria casar com um homem como ele...!

Pri disse...

Parabéns papai coruja!

Anónimo disse...

lindo post! =) o amor é assim.



[saudades das blogonovelas :( ]

Autora de Sonhos disse...

...é uma baba legitima! Bonita! Saudável! Continua um pai/marido baboso sempre! Beijinhos