terça-feira, 30 de março de 2010

O Livro Amarelo.

Não deixo de encarar o Livro Amarelo como um excelente indicador do nível de literacia e de formação cívica dos cidadãos que esta instituição serve. As pessoas não sabem escrever. A ortografia é deplorável e pobre, a caligrafia pueril (estou a ser simpático) e a construção do texto é inexistente. São pessoas de uma condição sócio-económica baixa.
Contudo, essa condição não é desculpa para o comportamento de alguns (muitos) utentes. Agressivos, ofensivos, ameaçadores. Lamento mas não tenho pachorra para isso. O que me enerva é que, enquanto essas bestas me chamam todos os nomes e mais algum e me ameaçam verbal e fisicamente e depois vão escrever (?) no livro amarelo, eu e os meus colegas temos que refrear os nossos impulsos mais primitivos de lhes fazer engolir os dentes todos (os que os têm) e de lhes pregar com os cornos numa parede, pois isso seria o fim da nossa carreira.
Se chamar a polícia é manifestamente exagerado numa situação dessas e os desgraçados dos agentes da autoridade já têm muito para onde se virar, não seria mal-pensado a criação de um livro amarelo dos profissionais onde pudéssemos explanar as nossas reclamações que, à semelhança das queixas dos utentes que são enviadas para o Ministério da Saúde, fossem remetidas ao Ministério Público nem que fosse só para chatear as bestas que prejudicam o funcionamento das nossas instituições. Teriam que responder À reclamação e ser ouvidas e, no decorrer do processo, talvez perdessem um ou dois dias de trabalho. Talvez assim pensassem duas vezes antes de insultar e ameaçar quem zela pela saúde da população.
Obrigado e bom-dia.

7 comentários:

sara disse...

muitas vezes as pesssoas sao injustas... os enfermeiros levam por tabela, sem terem culpa nenhuma, porque sao eles que estao la com o doente, e sao eles que dao a cara! é injusto quando alguem nos critica sem ter razao. Apenas fizemos o nosso trabalho...se o utente reagiu de uma maneira que nao estavamos a espera, pode ser biofisiologico, nao nos ponham as culpas para cima.
Fizemops o melhor que pudemos, nunca com intençao de prejudicar ninguem. Algumas pessoas devem pensar que acordamos de vez em quando com o pensamento: 'hoje vou lixar alguem!' e que vamos para o nosso trabalho para realizar esse pensamento. Poupem-me!! É preciso manter a calma, pensar e raciocinar... Porque a conteceu isto? Devido a que? Sera que a culpa e do enfermeiro...? ou o serviço nao funciona mesmo nada bem?
Sera que é mesmo necessario reclamar? o que vai adiantar? Se calhar a culpa nem e do enfermeiro...porquê estar a prejudicar um pobre coitado que fez o serviço da melhor maneira que pode, se a culpa nem é dele? Sera que vale a pena prejudicar alguem por caoisinhas minimas(por vezes)?Se a culpa nem e de ninguem do serviço...é mesmo do proprio sistema...?

é preciso sermos racionais, e pensar com a cabeça fria... CALMA é sempre a palavra de ordem!! não adianta nada a agressao fisicA ou mesmo verbal... devemos explicar o que aconteceu e as pessoas devem tentar perceber oq ue se passou, e nao erem uma spalas nos olhos, como os burros!!

Naná disse...

mas já pensaste que se calhar boa parte desses utentes são pessoas que até vivem do rendimento mínimo garantido e as mais das vezes nem se preocupam em encontrar trabalho???...

Autora de Sonhos disse...

Se há profissão que MAIS ADMIRO é enfermeiro(a). Mas como em todas as profissões há os que nascem mesmo para "isso" e outros nem por isso. Conheço o lado BOM e o MENOS BOM, ou seja, agradeço todos os dias à enfermeira que "apanhei" no internamento da minha bebé, e lamento diariamente a enfermeira que assistiu ao internamento da minha filha mais velha...

Obviamente que há e tem que haver sempre bom senso, muita educação e sim...

Concordo que esse livrinho amarelo deveria ser mais ponderado, sem dúvida!

Fica bem!

Tia Complicações disse...

Até que não era mal pensado. Todos os dias tinham um quebra cabeças no livrinho para os obrigar a pensar como aquela gentinha das cavernas.

I. disse...

Sabes porque é que eu sou sempre (bom, quase sempre) muito bem atendida nos serviços públicos? Porque chego sempre com um sorriso, cumprimento, falo com calma e sou educadinha. Acho que quem atende fica tão aliviado por ver uma pessoa a ser normal que retribuem com toda a simpatia.
Não custa nada pensar que quem nos atende não tem culpa nenhuma (ou quase nunca tem, vá) do problema que nos aflige, mas que pode ser o princípio da resolução desse problema. E aos gritos e insultos não se vai a lado nenhum.

Aline disse...

Concordo. Este país tem muitas desgraças dessas. Lá fora, os menos cultos não são tão ignorantes como os que não presumem sê-los.

Vânia disse...

como te compreendo!!:|