domingo, 8 de novembro de 2009

Quem tem cú...

Há alturas na vida em que, pura e simplesmente, nos vemos assolados por dúvidas que nunca julgaríamos possíveis.
Ele era um homem bem parecido, na casa dos trinta, solteirão. percebi que era o típico solteirão bon vivant porque entrou no "balcão" da Urgência acompanhado pela sua "mãezinha" que foi a primeira a dirigir-se ao médico: "Dr, por favor, o meu filhinho não se sente bem..."
"Por favor mãe, já te disse que não preciso que venhas comigo!"
"Mas, filho..."
"Sai mãe."
E a senhora lá se retirou, visivelmente contrariada.
Por esta altura eu estava a preparar medicação para outros doentes, mas a consulta era feita numa mesa mesmo ao meu lado.
"Então o que o traz aqui?" pergunta o médico?
"Bom... eu gostava de fazer um exame para ver se está tudo bem comigo..."
"Mas... um exame? Quais são as suas queixas?"
"Bom... um exame... para ver se está tudo bem... para ver se estou... inteiro..."
Por esta altura eu já tinha percebido que aquela conversa trazia água no bico e já estava a atrasar o meu serviço, apenas para ver a conclusão!
"Ó homem! Por favor, eu tenho muitos doentes para ver e, se não se queixa de nada, aqui não se fazem exames! Vá ao médico de família." O médico estava a ficar farto do impasse.
"Ó Doutor... eh pá, eu só quero um exame, alguém que me diga se eu continuo o mesmo..."
"Mau... esta conversa não vai a lado nenhum. Ou diz exactamente o que quer ou então retira-se!"
Sentia-se a tensão no ar. Acho que naquela altura já tinha desistido de disfarçar e estava a fixar o doente, a espera de uma resposta!
"Então?" forçou o médico. A doente manteve o silêncio durante alguns instantes. Suspirou e depois disse, como se despejasse um saco cheio que lhe pesava nas costas...
"PRONTO! PRONTO! FUI PARA MAIORCA COM UNS AMIGOS. MUITO ÁLCOOL, MUITAS PASTILHAS E COCA, MUITAS GAJAS. NÃO ME LEMBRO DE NADA MAS UM AMIGO DO NOSSO GRUPO REVELOU QUE É PANELEIRO E EU SÓ QUERO SABER SE ELE ME FOI AO !!! Já disse..."
O doente estava ofegante como se tivesse corrido os 100 metros contra o Bolt e tivesse ganho, vermelho como um tomate e olhos pregados no chão. Olhei para o médico e ele para mim. Ele começou a rir, primeiro de uma forma contida e depois cada vez mais alto. Eu retirei-me do gabinete e fui libertar a minha estridente gargalhada. Não sei como o médico resolveu a questão mas esse dia foi passado a rir. Muito. E a gozar.

18 comentários:

Rosa Cueca disse...

Muito bom.

Quem tem cu tem medo.

Márcia disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Cá por casa também gargalhamos a bom gargalhar!!! LOL

É o que dá borgas até à inconsciência...Ficam sem saber se estão "inteiros"...

Beijos grandes,
Márcia

Cate disse...

ahahahaah
muito bom!

Anónimo disse...

lol lol lol lol lol

Impagável!! lol


Olha lá, e não podias ter voltado para a sala só para ir buscar um sistema de soro... ou algo no género!?
Gostava tanto de saber como é que o médico se desenrascou dessa história!!


Cumprimentos

A.Silva

Luh disse...

ahahahaahahahaahahahaahah
aaaaaiiii que cenaaaaa
muito bom mesmo!

mjf disse...

Olá!
Será que o senhor ficou com um andar novo???
Médico sofre:=((((

Beijocas

Melissinha disse...

Então, foi ou não foi?

Cristina disse...

lol lol lol
mt bom! :P
pk é que eu não sou enfermeira...?! xD
bj

MA-S disse...

E então? Qual foi o exame que o médico lhe passou?? E o resultado?

AHHAHAHAHAHAH!

Bypassone disse...

LOL. Miguel, fala lá com o teu colega. Estamos todos em pulgas.....

Lebasiana disse...

lol

e começas aqui uma historia destas e não a levas até ao fim?! lol

jinhos... vou voltar!

continuando assim... disse...

loool , coitado do rapaz !! andam para aí sem saber o que fazem depois dá nisto .... lool

costela de adão disse...

Ahahahah! Muito, muito bom!

TIA COMPLICAÇÕES disse...

Ui, que constrangimento, pelo menos foi sincero, podia alegar que tinha sofrido um acidente. Ninguém está livre disso,cair em cima do galho de uma árvore ou escorregar na banheira e por fatalidade cair em cima da torneira....será,nós fingimos que acreditamos. Nos hospitais há sempre histórias mirabolantes e verídicas, que com o tempo passam a anedotas, mas quem conta diz sempre:- Não, não isto foi mesmo verdade. Assim como um que caiu em cima do sabonete e aconteceu......

Lia disse...

lololol...então e não se sabe o resultado????

Anónimo disse...

Afinal ser enfermeiro também tem grandes momentos!!!

Ana. disse...

Como é que o gajo NÃO SABE se alguém lhe saltou à espinha? Por muita coca que tivesse snifado, devia sentir qualquer coisinha, não?!
Just asking!!

;)

Luzia disse...

ahahahahahahhaha

faz lembrar as duvidas que o pessoal mandava para aquela revista a Maria.
beijocas e boa continuação.