domingo, 20 de junho de 2010

Tudo isto é triste, tudo isto é fado.

Nas entrevistas espontâneas feitas pelos jornalistas a alguns dos populares que aguardavam a sua vez para entrar no Salão da Câmara Municipal de Lisboa encontrei um padrão de resposta, comum a todas as estações televisivas:
Jornalista: "Gosta dos livros de Saramago?"
Populares: "Bem, gostar, gostar não sei porque nunca li nenhum... mas admirava o homem pela sua frontalidade!"
E respostas semelhantes foram obtidas em tantas outras ocasiões, até que...
Jornalista: "Temos aqui um casal que pretende exprimir a sua opinião. Vamos dar então a palavra ao Sr. Aníbal Silva e a sua esposa. Vêm de onde?
Aníbal: "Olhe, interrompemos as nossas férias em Boliqueime apenas para vir aqui."
Jornalista: "É admirador da obra do escritor?"
Aníbal: "Olhe, nunca li. Sou um homem muito ocupado sabe..."
Jornalista: "Do Homem então?"
Aníbal: "Não. Nunca gostei dele sabe, mas agora que ele está morto há algumas coisas que gostaria de lhe dizer. Assim cara-a-cara, que não sou homem de deixar assuntos mal resolvidos!!"
Jornalista: "Obrigado e bom dia."
O Sr. Aníbal acaba de perder toda a legitimidade enquanto representante máximo de Portugal e dos Portugueses. Se Saramago fosse vivo era bem capaz de se mudar para Espanha! E é isto. É triste. É fado.

6 comentários:

Melissinha disse...

estou pasma, parva mesmo, com o chefe de estado não ir ao funeral de um nobel.
nem sei desenvolver.

Melissinha disse...

pera, ele disse isso?

Ana C. disse...

Isto é verdade, ou continuas nas tuas divagações imaginárias?

Patrícia disse...

Nem eu compreendo como é que ele foi capaz de não ter comparecido na cerimónia fúnebre de Saramago.
Perdeu todo o meu respeito por ele, pois acima de tudo perdemos uma PESSOA ao quem a nossa cultura deve. Enriqueceu a nossa literatura e levou o nome de Portugal a todos os cantos do mundo.
Muitas lágrimas já derramei, é uma perda que me pesa no coração; sei que este dia chegaria, é a lei da vida! Mas é uma perda enorme!
Tou como o outro "essa pessoa mostrou agora a sua total pequenez e mesquinhez"
ATÉ SEMPRE SARAMAGO!
Perpetuará a sua grande obra e o seu estilo literário único e admirável.

Tia Complicações disse...

Nunca pensei...o homem tem-nos no sitio ou esqueceu-se do protocolo, do discurso de bem falante e do sorrizinho demagogo tão próprio dos n/(des)governantes. Será que ele se está a revoltar!!!! :)

caminhante disse...

há quem diga que o sr. aníbal não apareceu para fazer a vontade à santa (???) sé... será?

se calhar... é.