quarta-feira, 18 de março de 2009

Coitadinhos...

Depois queixam-se que são colocados em contentores, afastados das outras crianças. Ai coitadinhos de nós que somos segregados!! Pudera... com atitudes destas!

15 comentários:

Sanxeri disse...

Começo a mudar a minha opiniao... Deprimente.

Miguel C. disse...

Olha Sanxeri, não sabes da missa a metade!!! Infelizmente, eu sei.

Ana C. disse...

Tenho para mim que todos os defensores desta minoria em particular, nunca tiveram a oportunidade de privar com eles...
Porque só assim concebo que se defenda com unhas e dentes esta querida e amigável minoria étnica.
Não te esqueças que são eles que se auto segregam, que odeiam misturas. Que mesmo quando lhes são dadas casas novas, continuam a fazer as suas necessidades básicas e não básicas em plena rua.

JS disse...

Olá Miguel,

eu trabalho no Agrupamento Abel Varzim, cuja Escola EB1 da Lagoa Negra ( a da actual polémica) pertence. Quanto aos meninos de etnia que temos, tanto nesse projecto, como em todas as outras escolas não são de todo violentos. Acredite que não é fácil trabalhar com eles, pois não é fácil ter alunos, desmotivados, ausentes e desinteressados, mas efectivamente violentos não são.

Aproveito aqui para lhe dizer que fazemos mais por estes meninos do que qualquer outro faz. Infelizmente estão a ser usados por questões politicas, por um secretário de junta de freguesia que sonha ser deputado. Gostava mesmo de ver esta questão esclarecida, acredite!!!

banita disse...

Como é que é possível entrarem assim numa escola para "dar pau" num aluno?
Estão todos doidos! Se querem cá viver têm de se adaptar (como nós o fazemos em qualquer País), senão voltem para as terras deles! ómessa!

MARIINHA disse...

Verdade que não sei mesmo como será a melhor forma de dar a volta a este problema. É que essas pessoas recusam-se a viver como a maioria, e são eles próprios que se afastam para viver de acordo com os s/valores, que em alguns casos são muito discutíveis. Depois dá nisto. Bjk

Miguel C. disse...

JS, eu trabalho num território cigano. Lido com eles diariamente e nem todos são assim. O que me revolta no meio de tudo isto é que são eles, ciganos, que se afastam do resto da sociedade. Ao teimarem em prolongar uma cultura onde se combinam casamentos entre crianças e onde a violência impera, onde são ensinados a obter o que querem através da intimidação ou através da desonestidade. Mesmo que os responsáveis dessa escola viessem dizer que o fizeram porque as atitudes dos miúdos ciganos ou dos seus pais prejudicam a normal evolução das restantes crianças eu continuaria a não classificar essa atitude de segregação. Em medicina, um corpo estranho ao organismo é removido cirurgicamente e, do meu ponto de vista, uma minoria que teima em não se integrar é um corpo estranho.

mjf disse...

Olá!
Eles são uma etnia de mau caracter ( em geral)
São agressivos e impõem-se pelo medo que as autoridades têm deles :=(
E impostos??? pagam ???? nem pensar...mas as regalias sabem pedir e usufruir delas...
Quem paga??? Nòs
;=)

Beijocas
Voltarei

JS disse...

Mas estes miudos estão perfeitamente integrados! O projecto em causa tem uma especificidade pedagógina própria, só isso, porque são 17 meninos que nem o nome sabem!! Quantos aos outros ( e muitos) meninos de etnias estão integrados em turmas de ensino regular. Mas todos convivem saudavelmente!!! Há discriminação sim, mas entre eles porque se dividem entre o acampamento pobre e o rico. Este projecto foi feito com a concordância da matriarca e o contentor (vulgar em todas as escolas destepaís) até ar condicionado tem e acredite que tem muito melhores condições que o sitio onde trabalho!!!

Um abraço

Miguel C. disse...

JS, não se trata dos meninos. Afinal eles são aculturados pelos sua comunidade. Mas a mim custa-me que se fale em segregação étnica assim com ânimo tão leve. É claro que está aqui a haver um aproveitamento político do caso. De qualquer das formas, o que veio a comunidade cigana dizer? Que é uma vergonha, que não sabiam, que os meninos andam tristes e não querem voltar à escola, que se sentem marginalizados. Como esse projecto foi delineado com a matriarca da comunidade, estas declarações são, no mínimo, desonestas e vitimizadoras.
Acredito na pluralidade através da diferença mas esta comunidade não facilita.

Tweety disse...

Infelizmente tenho que discordar completamente do conceito que exteriorizas, tanto no teu comentário como no teu post. Não me vou por aqui a dizer que já vi miúdos não ciganos a entrarem em escolas para bater e se calhar matar, porque já vi. Não vou dizer que eles não se auto-segregam porque o é verdade. Mas o que me deixa triste é uma pessoa inteligente como o és, e nisto tenho a certeza, não auto analisar o comentário que faz, ao ponto de ver se reflecte ou não, uma atitude racista, porque a é, ver de onde vêm essa atitude e como combater la.
Tudo deve ser colocado em perspectiva. E o comentário que fazes sobre dois casos diferentes é no mínimo pré-conceito, se segregas crianças para depois em adultos irem ser acusados de autosegregação !!!! há atitudes pedagógicas e outras que nem para lá caminham. Quanto ao segundo, pronto foi o tio o primo o avó o irmão ajustar contas com o miúdo que fez mal, acham isso assim tão estranho, ou nunca ouviram falar de richas familiares ou de vizinhos que se matam à machadada, ou os famosos grupos da rua de cima e de baixo que não se aturavam e o jogo de futebol acabava sempre em pancadaria, nunca ouviram falar?!

E acima de tudo todos nós temos que reconhecer que os ciganos têm uma cultura diferente da nossa, mas que temos que nos entender como seres Humanos inteligentes que somos. Sim há um longo caminho a percorrer, mas das 2 partes não pensem que são os outros que tem que chegar a nós nós também temos que lá chegar.

Só para rematar, eu vivo numa zona igualmente complicada, já fui assaltado a 5 min a pé de casa por miúdos brancos, já fui ameaçado no meu local de trabalho por um individuo de raça branca, já se juntaram para me baterem um grupo de raça branca, e o único cliente que me agrediu no meu local de trabalho, imaginem era branco calvo pai de uma filha que por sinal também estava lá a assistir a tudo. Há já agora vivo e trabalho a 5 min de carro de pelo menos 2 bairros onde moram ciganos.

PS: não estou a dizer que acho bem que tenham invadido a escola, acho é mal comentar-se ou valorizar-se o facto de serem Ciganos.

Miguel C. disse...

Tweety. Obrigado pela profundidade do teu comentário. Quando se fala em situações de assaltos, droga ou crime em geral por parte de brancos ou pretos ou brasileiros ou portugueses ou o que seja, essas situações não são o que define esse grupo, mas sim pequenos grupos desviantes dessa comunidade. Com os ciganos é o contrário: estes comportamentos são o traço que define a sua identidade e os desviantes são aqueles que se integram na sociedade em geral.

Tweety disse...

Mesmo que tenhas razão no que dizes e eu não concordando inteiramente com o que dizes, tomando generalizações como as que dizes estás a castigar os que tu próprio defines como elementos que se tentam integrar, pois não deixas de uns classificar como sendo "Na generalidade, os ciganos são cínicos, desordeiros, desonestos, com tendência para a violência".

Ora pensa tentas integrar-te e mesmo assim continuas com estas qualidades, é complicado.

Eu apenas quero chamar à atenção das palavras que usas, e não camuflar os actos cometidos, e até são bem mais do que esses.

uma acção gera uma reacção de força igual e sentido oposto,, lembra te disto.

JBrito disse...

Caramba!!
Integração social só existe se o grupo a ser integrado entender o que é viver em sociedade, e digo a sociedade em termos gerais.
Ok?
OK.
Aquele abraço.

Bypassone disse...

Tweety, eu não acho que o Miguel esteja a castigar ninguém, está apenas a constatar um facto. E que tal serem esses poucos que já estão integrados a fazerem algo para mudar a mentalidade da grande maioria que não o está? Hum?